Vírus Ébola (colocado em 31-01-2019)

Alerta 3/2019 - Surto de Ébola na República Democrática do Congo

Entre 11 de Maio de 2018 e 28 de Janeiro de 2019, foram reportados 743 casos de Ébola na República Democrática do Congo,  Províncias de Nord-Kivu e Ituri, 689 dos quais confirmados e 54 prováveis; há 174 casos em investigação e foram registados 461 óbitos.

Até 22/01/2019 foram infectados 61 profissionais de saúde, 21 dos quais morreram.

Até 28/01/2019 foram vacinadas 69231 pessoas.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (WHO)  a 24/01/2019 o risco de disseminação da doença a nível global mantém-se baixo, mas muito alto a nível regional e nacional.

A WHO África salienta que este surto continua a evoluir num ambiente complexo. A transmissão persiste, demonstrada pelo constante aumento do número de casos, sendo particularmente preocupante a zona de Katwa. A insegurança e a relutância da comunidade continuam a dificultar a implementação de medidas de prevenção e controlo.

O ECDC actualizou a situação epidemiológica a 25/01/2019. O risco de introdução e propagação do vírus na EU/EEE é considerado baixo.

O ECDC mantêm em vigor o” Rapid Risk Assessment” de 21 de Dezembro de 2018 e no que se refere a substâncias de origem humana o “Rapid Risk Assessment” de Maio de 2018, em anexo.

Relembramos que se mantêm em vigor em Portugal a Circular Informativa nº 008/CI- IPST,IP/14 de 11/11/2014 – Recomendação – Risco de transmissão do Vírus ébola através da dádiva de sangue e componentes sanguíneos. ( em anexo)

Clarifica-se, de acordo com o Rapid Risk Assessment do ECDC , indivíduos monitorizados devido a história de contacto com um doente infectado com Vírus Ébola (VE)

  • Indivíduos que tenham regressado de um país com transmissão generalizada de VE ou com casos em áreas urbanas com incerteza acerca de medidas de controle;
  • o último contacto próximo com uma pessoa que tenha confirmado ter uma infecção ou doença pelo VE ou uma pessoa sob investigação cujo diagnóstico está pendente;
  • o último contacto sexual com uma pessoa que se tenha recuperado de doença por VE, independentemente do tempo desde a recuperação da pessoa;
  • notificação pelas autoridades de que possa ter sido exposto a uma pessoa com  doença por VE.

 Solicitamos a divulgação da presente informação a todos os profissionais envolvidos na avaliação e selecção de dadores de sangue.

 

Alerta 3/2016

A 15 de Janeiro a OMS declarou o fim da epidemia de Ébola na África Ocidental. Nesse mesmo dia foi notificado 1 novo caso da doença na Serra Leoa, numa mulher de 22 anos, que faleceu a 12 de Janeiro, ainda decorrendo a investigação sobre o caso.

http://www.who.int/mediacentre/news/statements/2016/new-ebola-case/en/

Segundo os media, estão a ser investigadas mais de uma centena de pessoas que poderão ter estado em contacto com o caso confirmado, sendo mais de 20 de alto risco.

http://www.who.int/mediacentre/news/statements/2016/new-ebola-case/en/been

A 17 de Janeiro de 2016, o Ministério da Saúde da Serra Leoa divulgou um comunicado sobre 1 contacto de alto risco que viajou, a 16 de Janeiro de 2016, para o ocidente, a partir de Kambia. A localização desse contacto está a ser investigada.

http://health.gov.sl/?p=4155

Assim  no que se refere a Doença por Vírus Ébola mantêm-se as medidas de suspensão temporária de potencias dadores de sangue que constam da Circular Informativa do IPST 008/CI-IPST/14 de 11/11/2014.

Loading...
Loading...