Dengue (colocado a 20-06-2018)

Alerta 5/2018 -  - Dengue em Macau. Medidas para a prevenção da transmissão através da transfusão

Vimos por este meio divulgar informação recebida através do Sistema RONDA da Direcção Geral da Saúde relativa a  existência do primeiro caso autóctone de Dengue em Macau em 2018, confirmado a 19 de Junho, com início de sintomas a 10 de Junho.

Face a esta situação pensamos adequado para a prevenção do risco de transmissão da Dengue através da transfusão  a suspensão dos candidatos à dádiva que tenham permanecido pelo menos uma noite  em Macau  por um período de 28 dias bem como dos candidatos à dádiva de sangue a quem, após regresso,  tenha sido diagnosticada a infecção por um período de 120 dias após resolução da infecção.

Solicitamos a vossa maior atenção a esta situação e solicitamos a divulgação da presente informação a todos os profissionais com responsabilidades na selecção e avaliação de dadores de sangue.

 

Alerta 4/2018 - Dengue na Polinésia Francesa. Medidas para a prevenção da transmissão através da transfusão

Vimos por este meio divulgar informação recebida através do Sistema RONDA da Direcção Geral da Saúde relativa a  existência de um caso autóctone confirmado de Dengue por Vírus DEN-2  em Raiatea, numa das Ilhas da Polinésia Francesa.

O vírus DEN-2 não circulava no arquipélago desde 2000, aquando da ocorrência de um surto de grande magnitude. Passados 18 anos , esta detecção constitui um alerta para eventual aparecimento de novo surto. Grande parte da população ( crianças e jovens) não tem imunidade adquirida para o serotipo DEN-2.

As autoridades têm reforçado medidas de controlo de vectores e de mobilização social na redução de criadores e adopção de medidas preventivas.

Face a esta situação pensamos adequado para a prevenção do risco de transmissão da Dengue através da transfusão  a suspensão dos candidatos à dádiva que tenham permanecido pelo menos uma noite  na Polinésia Francesa  por um período de 28 dias bem como dos candidatos à dádiva de sangue a quem, após regresso,  tenha sido diagnosticada a infecção por um período de 120 dias após resolução da infecção.

Solicitamos a vossa maior atenção a esta situação e solicitamos a divulgação da presente informação a todos os profissionais com responsabilidades na selecção e avaliação de dadores de sangue.

 

Alerta 03/2018 –  Dengue na Ilha de Reunião

Desde o início de 2018, o número de casos de dengue aumentou acentuadamente na Ilha de Reunião (departamento ultramarino francês).

Entre 1 de Janeiro e 11 de Março, foram notificados 324 casos autóctones (131 durante a semana 10). Dois terços destes casos foram notificados na cidade de Saint Paul.

Esta situação segue -se a circulação viral continuada incomum durante a temporada de inverno do hemisfério sul  em 2017, ao contrário de anos anteriores. No geral, desde o início de 2017, foram notificados 418 casos autóctones e 9 casos importados de dengue, levando a 20 hospitalizações. A maioria dos casos autóctones é do serotipo DENV-2, que já circulou em 2016 (juntamente com  DENV-1, que foi predominante, e DENV-3) e 2014, em que foi predominante.

O plano de resposta local contra arbovírus foi implementado de acordo com uma estratégia de resposta abrangente, incluindo o reforço de  operações de controle de vectores, reforço das medidas para a segurança do sangue e componentes sanguíneos, mobilização social e comunicação específica do risco para aumentar a sensibilização da população e dos profissionais de saúde.

Face a esta situação pensamos adequado para a prevenção do risco de transmissão da Dengue através da transfusão  a suspensão dos candidatos à dádiva que tenham permanecido pelo menos uma noite  na Ilha de Reunião por um período de 28 dias bem como dos candidatos à dádiva de sangue a quem, após regresso,  tenha sido diagnosticada a infecção por um período de 120 dias após resolução da infecção.

Solicitamos a vossa maior atenção a esta situação e solicitamos a divulgação da presente informação a todos os profissionais com responsabilidades na selecção e avaliação de dadores de sangue.

 

Alerta 15/2017 –  Dengue em Macau

Desde o início do ano e até 1 de agosto de 2017, foram notificados 8 casos de dengue em Macau. A 31 de julho de 2017, os Serviços de Saúde de Macau confirmaram a ocorrência de um caso laboratorialmente confirmado de dengue em Macau, diagnosticada num indivíduo sem histórico de viagens antes do início de sintomas a 27/7/2017. Trata-se do primeiro caso autóctone de dengue registado em Macau este ano, tendo sido ainda notificados 7 casos importados. As autoridades de saúde afirmam que nenhum dos familiares ou colegas apresenta sintomatologia compatível com dengue e vão manter a investigação na residência, local de trabalho, e locais comerciais próximos. Para além disto, vão proceder à eliminação química de mosquitos nos referidos locais e apelam à colaboração dos residentes daquela área para a adopção de medidas anti-mosquitos.

Os Serviços de Saúde apelam a todos os residentes de Macau que tenham em consideração as medidas de prevenção e higiene ambiental que incluem a eliminação de água estagnada no domicílio ou local de trabalho, eliminando, assim, a proliferação de mosquitos e larvas. Os viajantes para locais com surto de dengue deverão adotar medidas anti picada.

A DGS recomenda a adopção de medidas de prevenção da picada de mosquito a todos os viajantes com destino a Macau.

http://vwwv.gcs.gov.mo/showNews.php?PageLang=P&DataUcn=114412

http://www.gcs.gov.mo/showNews.pho?PageLang=P&DataUcn=114455

Face a esta situação  pensamos adequado para a prevenção do risco de transmissão de Dengue através da transfusão a suspensão dos candidatos à dádiva de sangue que tenham permanecido pelo menos uma noite na região afectada – Macau - por um período de 28 dias depois de abandonar a referida área, bem como a suspensão temporária por um prazo de 120 dias após a recuperação de potenciais dadores de sangue com o diagnóstico de infecção na ausência de sintomas.

 

Alerta 4/2017 - Surto de Dengue em Cabo Verde, medidas para a prevenção da transmissão através da transfusão,

A 3 de Janeiro de 2017, o Ministério da Saúde e da Segurança Social de Cabo Verde foi notificado da existência de 2 casos de Dengue na cidade da Praia, Ilha de Santiago.

Até 26 de Janeiro, foram confirmados 18 casos e 223 amostras aguardam analise.

O primeiro surto de Dengue em Cabo Verde ocorreu em 2009/2010, tendo sido identificado o serotipo DENV-3 e  reportados mais de 21.000 casos, 174 casos graves e 4 óbitos.

Na sequencia deste evento, as Autoridades Nacionais de Cabo Verde implementaram as seguintes medidas:

Publicação de Comunicado a 6 de Janeiro (http://wmv.governo.cv/index.php/destaques/7255-comunicado-ocorrencia-de-casos-de-doencas-transmitidas-por-mosquitos-em-cabo-verde

Criação de um Comité de Coordenação com autoridades locais, OMS e outros parceiros, cujas medidas incluem controlo de vectores, fortalecimento da capacidade laboratorial para detecção do vírus, mobilização social, investigação retrospectiva de casos e pulverização dos domicilioAlerta a população para se dirigir aos cuidados de saúde nas situações de sintomatologia suspeita (febre, mialgias, artralgias e dor retro orbitaria).

De acordo com o Risk Assessment da OMS, é provável que este evento tenha repercussões ao nível da saúde pública em Cabo Verde, especialmente nas ilhas a sul, onde o risco é mais elevado,  uma vez que o serotipo  do vírus é o mesmo do surto ocorrido em 2009. Para  este facto contribui a não existência de testes de diagnóstico rápido, a definição de caso, a ausência de divulgação de guidelines e de uma vigilância epidemiológica bem estabelecida.

Segundo o ECDC, a 30/01, as condições climatéricas na Madeira,  único local da UE onde existe o mosquito Aedes aegypti, são actualmente desfavoráveis a multiplicação dos vectores, pelo que o risco para os Estados-Membro  da União Europeia é considerado insignificante.

Face a esta situação pensamos adequado para a prevenção do risco de transmissão da Dengue através da transfusão  a suspensão dos candidatos à dádiva que tenham permanecido pelo menos uma noite  em Cabo verde por um período de 28 dias, e dos candidatos à dádiva de sangue a quem tenha sido diagnosticada a infecção por um período de 120 dias após resolução da infecção.

Solicitamos a vossa maior atenção a esta situação e solicitamos a divulgação da presente informação a todos os profissionais com responsabilidades na selecção e avaliação de dadores de sangue.

 

Alerta 22/2015 - Dengue em França

Em 19 de agosto de 2015, o Laboratório Nacional de Referência para arboviroses confirmou a existência de um cluster de 2 casos autóctones de infeção dengue (serotipo 1) no mesmo agregado familiar, em Nimes, França. O início de sintomas foi na noite de 8 de agosto , em ambos os casos. O diagnóstico foi feito por RT-PCR. O vetor Aedes albopictus existe naquela região desde 2011. Os dois doentes deslocaram-se apenas nas redondezas da residência, nas 2 semanas prévias ao início de sintomas (sem história de viagens). A residência em Nimes parece ser o único local comum de exposição. O caso índice poderá ser um caso importado que iniciou sintomas em 2 de julho, depois de regressar da Polinésia francesa, onde a transmissão de dengue do serotipo 1 é conhecida.

Face a esta situação  pensamos adequado para a prevenção do risco de transmissão de Dengue através da transfusão a suspensão dos candidatos à dádiva de sangue que tenham permanecido pelo menos uma noite na regiâo afectada ( região de Nimes, França)por um período de 28 dias depois de abandonar a referida área, bem como a suspensão temporária por um prazo de 120 dias após a recuperação de potenciais dadores de sangue com o diagnóstico de infecção na ausência de sintomas.

Solicitamos a divulgação da presente informação a todos os profissionais com responsabilidades na selecção e avaliação de dadores de sangue.

Loading...
Loading...